Escrevacerto na mídia

 
A professora Margarete deu uma breve entrevista à Folha de S. Paulo em 2003:
 

Christiane Sasaoka, 18, vai prestar vestibular para medicina e também concilia o cursinho com aulas particulares. Há um mês, ela começou a fazer um curso de redação com a professora Margarete Pulido. "São quase cem alunos na minha sala e, por mais que o professor seja bom, não tem como comentar com cada um os erros das redações. É uma correção em massa", disse Sasaoka. Pulido, que dá aulas particulares para vestibulandos há 15 anos, usa o mesmo argumento da estudante para justificar a importância do acompanhamento particular. "A redação não trabalha com gabarito. No cursinho, ensina-se a teoria, mas falta o mais importante, que é o acompanhamento individual, os comentários específicos de cada ponto do texto.

 

Veja o original:

http://www2.uol.com.br/aprendiz/noticias/noticias/id080404_01.shtml